A parada cardiorrespiratória (PCR) permanece como um problema de saúde pública mundial, apesar dos avanços nos últimos anos relacionados à prevenção e ao tratamento, e ainda assim, muitas são as vidas perdidas anualmente no Brasil.

A PCR é definida pela American Heart Association (AHA) como: é a cessação da circulação e respiração, reconhecida pela ausência de batimentos cardíacos e movimentos respiratórios em uma vítima inconsciente.

Estima-se que cerca de 300.000 eventos de PCR ocorram anualmente no Brasil, sendo que 50% desses eventos ocorrem no ambiente extra-Hospitalar.

Com o objetivos de apresentar a problematização da morte súbita e evidenciar a importância do atendimento de suporte básico de vida (BLS), e oferecer subsídio teórico para reconhecer os ritmos da parada cardiorrespiratória e associá-los com os protocolos vigentes no âmbito do suporte básico de vida (BLS – AHA 2015), foi elaborada e ministrada uma aula dentro da disciplina de urgências e emergências, onde após a passagem do conteúdo teórico embasado nas diretrizes atuais do BLS – AHA 2015, os alunos puderam realizar as manobras de ressuscitação cardiopulmonar (RCP) em manequins, seguindo as orientações da cadeia de sobrevivência extra-hospital e intra-hospital, atuando no reconhecimento e
acionamento de ajuda, inicio de RCP de alta qualidade, desfibrilação precoce com desfibrilador externo automático (DEA) e posicionamento da vítima em posição de resgate no caso de haver retorno da circulação espontânea até a chegada do serviço médico de emergência e transporte para o hospital onde a vítima receberá os cuidados pós-PCR. 

Professor:
Rodrigo dos Santos Araujo